Líderes Biológicos

256
0
Compartilhe:

Neste podcast, Oscar Motomura faz um convite para que todos os líderes encontrem caminhos inovadores e criativos e se tornem cada vez mais líderes biológicos.

 

Muito se tem falado sobre liderança, aliás, falamos sobre liderança há milhares de anos. Nossas teorias têm mudado muito, podemos estar presos a teorias ultrapassadas, mas na medida em que vamos refletindo sobre o dia a dia e as coisas reais, os desafios que nós temos no nosso dia a dia, quase somos obrigados a refletir sobre liderança de formas diferentes. Um pequeno exemplo seria essa ideia de que a falta de líderes pode afetar negativamente os resultados da organização. Parece que é algo universal, por isso queremos formar tantos líderes, mas a pergunta que nos faz pensar um bocado sobre essa teoria é se os líderes às vezes não atrapalham.

Será que não é melhor deixar a turma trabalhar autonomamente sozinha durante algum tempo e isso ser extremamente adequado para conseguir resultados melhores? Essa é a primeira questão. Por outro lado, falamos assim: liderança e resultados. De que resultados nós estamos falando? Maximizar os resultados de curto prazo prejudicando até os resultados de médio e longo? Como é que essa questão da inovação, mudanças radicais que precisamos introduzir? Líderes que conseguem manter bem o que existe, mas não conseguem mudar o status quo, líderes que são obedientes e aceitam qualquer coisa que venha de cima e não conseguem questionar. Será que isso é liderança? Embora a pessoa esteja trabalhando para os resultados.

Agora, se queremos simplesmente pessoas obedientes, fazendo as coisas acontecerem, a pergunta é: que coisas estão fazendo acontecer e podemos chamar isso de alto desempenho? Será que teremos que ser cada vez mais soltos também relação às nossas equipes? Deixá-los com muito mais espaço para que possam exercer a criatividade, a engenhosidade que têm para que consigamos melhores resultados? Será que precisamos ter a sabedoria de quando atuar até robustamente e quando sair do caminho? Essa talvez seja a reflexão que eu mais queria destacar entre todos os pontos que foram levantados aqui. E o convite expresso para que vocês próprios encontrem caminhos inovadores e criativos para se tornarem cada vez mais líderes biológicos.

 

 

Compartilhe: